MOSTRA FLORESTA, COM AMAZÔNIA EM DESTAQUE, ABRE HOJE PROGRAMAÇÃO DO PLANETA.DOC FESTIVAL EM FLORIPA

MOSTRA FLORESTA, COM AMAZÔNIA EM DESTAQUE, ABRE HOJE PROGRAMAÇÃO DO PLANETA.DOC FESTIVAL EM FLORIPA

Depois das apresentações de cases e Film Commissions, dos pitchings de projetos com representantes de importantes canais de televisão, dos filmes em realidade virtual e de 40 TED-talks na construção de um diálogo entre sustentabilidade, educação e audiovisual – através do I Fórum Audiovisual de Natureza e do IV Planeta.doc Conferência, nos dois últimos dias – o Planeta.doc Festival abre hoje o seu circuito de exibição de filmes nacionais e internacionais.  De 24 de outubro a 15 de dezembro são seis mostras temáticas que ocuparão diversos espaços culturais de Florianópolis, levando gratuitamente à população obras que emocionam, causam reflexão e ampliam a discussão socioambiental em busca de respostas que interessam a toda a humanidade. 

A primeira leva de filmes será a Mostra Florestas, toda ela na sala de cinema do Centro Integrado de Cultura (CIC), sempre no horário das 20 horas. Serão 16 filmes, instigantes, premiados e aplaudidos em suas trajetórias, mas que, em sua maioria, raramente chegam ao circuito comercial de cinema. A quem pertencem os bens comuns da natureza? Quem é o dono dos mares, dos rios, das florestas, dos ventos? Quem são os mais prejudicados quando estes bens comuns são apropriados por uma pequena parte da sociedade? Como construir uma nova forma de viver que mescle e atualize os saberes ancestrais com as conquistas da ciência e tecnologia, que sirvam à humanidade e não destruam o planeta? Essas indagações, contidas no documentário “O Fio da Meada”, de Sílvio Tendler, que está na programação, também perpassam a linha curatorial do Planeta.doc Festival 2019.

O filme que abre o circuito – “À Cura do Rio”, de Mariana Fagundes-  é um documentário sobre uma das maiores tragédias ambientais e humanitárias que enlutou todo o país e impactou a vida de comunidades ribeirinhas, entre as quais as dos povos Krenak, em Minas Gerais: o rompimento da barragem de mineração do “Fundão”, em Mariana, em 5 de novembro de 2015.  Sob o ponto de vista dos Krenak, o documentário mostra um ritual xamânico em que corpo e natureza se unem para um diálogo profético que enxerga a catástrofe, mas também a salvação do Rio Doce. Outro documentário que também estará em cartaz, “Krenak”, aborda a tragédia de Mariana, porém indiretamente. O filme, de Rogério Corrêa, reconstitui a saga deste povo indígena desde a declaração da chamada “guerra justa”, ordenada pelo rei português Dom João VI, em 1808, chegando ao mar de lama que soterrou vidas, terras, sítios históricos, culturais e o rio que antes era doce.

Já o documentário “A Terceira Margem”, dirigido por Fabian Remy, investiga o extraordinário caso de João Kramura, um homem branco raptado por índios quando criança e criado de acordo com os costumes da tribo. João foi descoberto pelos irmãos Villas-Boas durante os primeiros contatos entre os indigenistas e o povo Kaiapó, às margens do Rio Xingu, na década de 1950. Devolvido a seus parentes depois de adulto, não consegue se readaptar à vida fora da tribo e eventualmente retorna à aldeia, onde fica até seu falecimento, em 2005. O filme documenta uma viagem ao Brasil central em busca dos rastros de Kramura feita ao lado de Thini-á, um índio Fulni-ô que deixou sua aldeia aos quinze anos para viver em grandes metrópoles. O filme coloca em cheque a ruptura da cultura indígena diante da invasão branca e a evolução dos conceitos de antropólogos e indigenistas ao longo de 60 anos.

A Amazônia, como não poderia deixar de ser em uma mostra sobre florestas, ocupa o centro da programação. “Xavante: Memória, Cultura e Resistência”, de Gilson Costa, é um documentário que apresenta um dos rituais mais importantes do povo Xavante: a cerimônia Wapté Mnhõnhõ, que marca a passagem dos jovens para a vida adulta, iniciando uma nova e importante fase de suas vidas. Cantos, danças, pinturas corporais e a religiosidade são componentes que simbolizam a preservação da memória e o processo de resistência cultural passado de geração para geração. 

“Sob a Pata do Boi”, dirigido por Márcio Isensee e Sá, joga foco sobre uma das questões mais polêmicas hoje sobre o meio ambiente, internacionalmente: o avanço impactante dos desmatamentos e das queimadas na Amazônia, com a maior floresta tropical do planeta ameaçada em grande parte pela pecuária. O filme mostra que a Amazônia tem hoje 85 milhões de cabeças de gado, três para cada habitante da região. Na década de 1970, quase não havia bois e a floresta estava intacta. Desde então, uma porção equivalente ao tamanho da França desapareceu, da qual 66% virou pastagem. A mudança foi incentivada pelo próprio governo federal, o que motivou a chegada de milhares de fazendeiros de outras partes do país. A pecuária tornou-se bandeira econômica e cultural da Amazônia, levando os ruralistas, poderosos lobbys políticos e econômicos e mesmo uma significativa parcela da sociedade a defendê-la. Em 2009 o jogo começou a virar quando o Ministério Público obrigou os grandes frigoríficos a monitorarem o desmatamento nas fazendas de onde compram gado. Um filme revelador, atual e imperdível.

Outros filmes do festival também abordam a Amazônia, mas com olhares diferenciados, alguns inclusive lúdicos e apropriados às crianças. É o caso das animações “A Formidável Fabriqueta de Sonhos Menina Betina”, “Plantae”, “Pirilampo” e o premiado “Caminho dos Gigantes”. E também dos documentários “Curupira, Bicho do Mato”, “Para’í” e “Osiba Kangamuke – Vamos Lá Criançada”, no qual as crianças da aldeia Kalapalo, do Parque Indígena do Alto Xingu, mostram aspectos curiosos e divertidos de sua rotina, cultura, tradições e a íntima relação que possuem com a natureza. Já “Micromundo em uma Sacada” é um premiado filme colombiano feito com objetiva macro, apresentando imagens fantásticas de um mundo praticamente invisível, onde insetos exóticos parecem seres de outro planeta. Na verdade, são filmes para as crianças de todas as idades.

Mas os assuntos mais polêmicos não poderiam ficar de fora e com certeza irão dar margem a muitos debates após a exibição dos filmes. “Empate”, por exemplo, é um documentário que dá voz aos protagonistas do movimento seringueiro das décadas de 70 e 80, no Estado do Acre, refletindo como este momento histórico ecoa ainda hoje na Amazônia e no resto do mundo. Seu diretor, Sérgio Machado, esteve presente nos dois dias da Conferência e do Fórum, comentando a saga dos seringueiros seguidores de Chico Mendes e também a da produção do seu filme. 

Já citado, “O Fio da Meada”, de Sílvio Tendler, um dos maiores documentaristas do Brasil, mostra a luta de povos tradicionais brasileiros. No filme, caiçaras, quilombolas e indígenas lutam para sobreviver e tentar impedir que suas reservas naturais sejam destruídas pelo processo de invasões, queimadas e desmatamento. O documentário discute as conexões entre a crise ecológica contemporânea, o modelo econômico, as desigualdades sociais e as diversas formas de injustiça ambiental geradas pela exploração das pessoas e do meio ambiente.

A Mostra Floresta fecha com chave de ouro com o filme “A Idade da Água”, do veterano e premiado diretor Orlando Senna, autor do seminal “Iracema – Uma Transa Amazônica” (1975). Neste documentário Senna revela a cobiça internacional sobre a Amazônia, envolvendo os Estados Unidos e a Europa. A crise hídrica atual – e que só tende a se agravar em todo o planeta – coloca a Amazônia no olho do furacão de uma possível Guerra da Água em um futuro não muito distante. Não basta torcer para que isto não aconteça. É preciso atitude, ação e conscientização, com o cinema e audiovisual cumprindo sua função.

A Mostra Floresta acontece de 24 a 27 de outubro, pega um fôlego e retorna de 15 a 17 de novembro, sempre às 20 horas, no cinema do CIC. Na sequência o Planeta.doc Festival exibirá as Mostras Cidades, Panorama Nacional, Panorama Internacional, Séries de TV e, por último, a Mostra das Crianças, com os subtemas Biodiversidade, Floresta, Alimentos, Água e Cultura, fechando a versão 2019 do festival em 15 de dezembro. O Planeta.doc Film Festival 2019 foi contemplado no Edital Audiovisual Gera Futuro 2018 da Secretaria Especial da Cultura, Ministério da Cidadania e Governo Federal, com investimento do BRDE/FSA/Ancine. A programação completa está disponível no site www.planetadoc.com.br/programação, na página do festival no Facebook e Instagram, podendo também ser acessada pelo no celular através do aplicativo Planetadoc. Escolha um filme, compareça, prestigie e compartilhe. 

IV Planetadoc Conferência aprofunda debate sobre educação para a sustentabilidade

IV Planetadoc Conferência aprofunda debate sobre educação para a sustentabilidade

Evento acontece de 22 e 23 de outubro no Centro de Eventos da UFSC reunindo palestrantes e professores de todo o país, cineastas, estudantes e o público interessado.

 As inscrições estõo abertas e são gratuitas.

As atenções do mundo se voltam para o meio ambiente, a crise climática e a sobrevivência do planeta e Florianópolis terá um papel importante neste debate em outubro. Nos dias 22 e 23, a cidade receberá, no Centro de Cultura e Eventos da UFSC, o Planetadoc Conferência, evento que chega a sua quarta edição com foco na educação, sustentabilidade e cinema. Para esses dois dias estão programados 40 TED-Talks com palestrantes de todo o país e escolas das redes particular, municipal e estadual de ensino para debater sobre práticas pedagógicas em sustentabilidade e trocar experiências. As inscrições, que são gratuitas, estão abertas até o evento para professores, estudantes, pais, pesquisadores e estabelecimentos de ensino neste link: https://www.sympla.com.br/conferencia-planetadoc-2019__636871.

A Conferência integra a  programação do Planetadoc Festival, evento cinematográfico programado para os meses de novembro e dezembro também em Florianópolis. Mas este encontro de outubro antecipa uma discussão urgente e que mobiliza o globo: apercepção da existência de limites do planeta, da degradação e dos riscos ecológicos, bem como das suas dramáticas consequências para a humanidade. Isso nos força, desde já, a repensar as relações entre sociedade-natureza e a escola assume um papel de protagonismo. 

Durante a Conferência também será lançada a nova edição do planetanaescola.com, plataforma de streaming com obras cinematográficas destinadas à educação socioambiental em sala de aula. São 40 novos filmes focados nas temáticas “oceanos e biodiversidade”, “lixo zero” e “economia circular”. A plataforma está no ar desde 2017 e foi desenvolvida com o apoio da Secretaria Municipal de Cultura/Fundação Cultural de Florianópolis Franklin Cascaes por meio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura. Para ter acesso ao conteúdo basta se cadastrar no site, sendo que a adesão é gratuita e aberta para escolas de todo o país!

Não deixe de conferir as novidades do Planetadoc Festival no site www.planetadoc.com

Cinema e aprendizagem

O campo de abordagem nas dezenas de palestras/talks e cases escolares é amplo, versando pela sustentabilidade, o audiovisual, plataformas imersivas, novas tecnologias, games educativos e muito mais. É expandir os conhecimentos sobre a preservação da vida na Terra, refletir sobre o nosso impacto enquanto indivíduos e sociedade, contribuir para a mudança e ousar transformar. Nesse contexto as escolas contribuirão sobre a importância do seu protagonismo nessa conscientização e mudança por meio de cases de práticas e projetos voltados para a sustentabilidade

A utilização do cinema como veículo e ferramenta de ensino-aprendizagem oportuniza enfocar os aspectos culturais, históricos, literários e políticos, proporcionando uma visão integral do cinema enquanto mídia educativa. Ao mesmo tempo, a inserção de novas estratégias de desenvolvimento do processo de ensino-aprendizagem é primordial para a inovação pedagógica e a adequação às mudanças sociais. Não é mais possível desenvolver dois conjuntos paralelos de medidas, um para responder às necessidades sociais (“salvar a humanidade”) e outro para responder aos danos ecológicos (“salvar o planeta”). O objetivo atual é combinar essas duas exigências solidárias na perspectiva de ação conhecida como socioambiental. E a mobilização planetária que vem ganhando as ruas em diversas partes do mundo mostram que não há mais tempo a perder!

Práticas em Sustentabilidade e Mediação de Conflitos

A Conferência traz uma programação rica, como o Fórum de Práticas Pedagógicas em Sustentabilidade que reunirá escolas públicas e privadas para debaterem ideias e ações. Outra agenda que despertará o interesse não só de gestores, professores, mas também de pais e alunos é a palestra/oficina de “Mediação de Conflito no Ambiente Escolar”, com pedagoga e psicopedagoga Thereza Coutinho. Ela é doutora em Educação pela AdacemieEtUniversité Honorifique Philo-RomainedesSantsConstantine Et Charles e membro da Federação Brasileira de Acadêmicos de Ciências, Letras e Artes (FEBACLA). 

A mediação de conflito no ambiente escolar permite que professores, coordenadores e gestorescompreendam os gatilhos que antecedem e provocam um ambiente belicoso, antagônico e resistente às ideias e projetos propostos. Os pais também têm um papel importante e podem participar mais ativamente das questões relacionadas com os seus filhos, em especial nas situações de conflitos. O centro escolar também pode ser beneficiado com a melhora no ambiente, pois a comunidade educativa pode aprender a gerir os conflitos de uma forma mais eficiente. A mediação também tem um caráter pedagógico e contribui com a difusão da cultura de paz, da não-violência e da resolução pacífica dos conflitos.

Serviço – IV Planetadoc Conferência – “O Planeta da Sala de Aula”

Quando: Dias 22 e 23 de outubro

Local: Centro de Cultura e Eventos da UFSC – Florianópolis

Inscrições: Gratuitas no link https://www.sympla.com.br/conferencia-planetadoc-2019__636871

Financiadores:Este projeto foi contemplado no Edital Audiovisual Gera Futuro 2018 da Secretaria Especial da Cultura, Ministério da Cidadania e Governo Federal, com investimento do BRDE/FSA/Ancine

Mais informações: www.planetadoc.comwww.planetanaescola.comwww.facebook.com/planetadocfestival

Contatos:

Mônica Linhares (diretora): (48) 99691-2655 e-mail: planetadoc.brasil@gmail.com

Assessoria de imprensa/jornalistas: Marcos Espíndola (48/99981-5774, e-mail: marcos@marcosespindola.com.br) e Rodrigo Ramos (48/99165-6031, e-mail: rodrigo.cardosoramos@gmail.com)

Florianópolis recebe o I Fórum Audiovisual de Natureza

Florianópolis recebe o I Fórum Audiovisual de Natureza

Inscrições gratuitas para produtoras de todo o Brasil estão abertas até o próximo dia 05 de outubro. Evento acontece de 22 a 23 de outubro na capital catarinense.

Florianópolis será o centro das atenções de canais de TV e plataformas de vídeo on demand (VOD) durante o 1º Fórum Audiovisual de Natureza, nos dias 22 e 23 de outubro, no Centro de Cultura e Eventos da UFSC. O evento integra também a sexta edição do Planeta.doc Festival – programado para os meses de novembro e dezembro deste ano. As inscrições para participar das rodadas de negócios estão abertas para todo o Brasil até o dia 05 de outubro nas categorias documentário, animação, games educativos e reality show. Inscreva-se gratuitamente no site www.planetadoc.com/forumaudiovisualdenatureza

O Fórum Audiovisual de Natureza reunirá produtores de cinema, canais de televisão, plataformas VOD e filmcomissions com o objetivo de promover o mercado de conteúdo de reelfilms no Brasil, apoiando o desenvolvimento de novos projetos audiovisuais.Neste ano, o foco temático é para filmes de natureza, aventura, esporte, turismo, ciência, saúde, sociedade, educação e sustentabilidade. Também haverá rodada de negócios para games educativos e animações. Estão sendo convidados representantes de canais como National Geographic, Love Nature, Futura, Discovery Science, OFF, Travel Box, Animal Planet, Play Kids, CNN Brasil, Smithsonian Channel entre outros.  Assim que forem confirmados, os players serão anunciados no site do evento www.planetadoc.com/forumaudiovisualdenatureza. Para essa primeira edição são esperadas também representações deFilmComissions do país, como as da região daAmazônia, Rio de Janeiro e São Paulo. Outras filmcomissions interessadas em participar podem enviar email para planetadoc.brasil@gmail.com.

Rodadas

Serão selecionados em média 50 projetos para as rodadas de negócios, realizadas nos dias 22 e 23 de outubro no Centro de Eventos da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), em Florianópolis. As rodadas de negócios serão realizadas em duas modalidades: pitchings individuais ou pitchings públicos, e o produtor/realizador pode decidir por uma ou ambas as modalidades.  Os pitchings públicos oportunizam a apresentação para uma maior quantidade de players, permitindo o acesso ao público como platéia mediante inscrição prévia. 

Planeta.doc Conferência: Educação, Cinema e Audiovisual

Também durante o Fórum acontecerá a quarta edição do Planetadoc Conferência (22/10 e 23/10), grande evento na área de sustentabilidade que este ano terá foco temático em Educação, Sustentabilidade e Cinema. Estão previstas 40 TED-Talks para os dois dias, abordando os principais cases de sustentabilidade nas escolas, com palestrantes de todo o país, e as oportunidades do audiovisual na área da educação e da ciência. As inscrições para Conferência também estão abertas e são gratuitas (acesse o link https://www.sympla.com.br/conferencia-planetadoc-2019__636871)

O Fórum Audiovisual de Natureza e o Planeta.doc Conferência integram a sexta edição do PlanetadocFilm Festival, programado para os meses de novembro e dezembro em Florianópolis e dedicado à janela de reelfilms em nível internacional.Neste ano serão exibidas 70 obras, entre documentários, animações e realidade virtual.

O Fórum: Florianópolis como Destino Cinematográfico

O Fórum Audiovisual de Natureza é um evento de caráter mercadológico, que movimenta a economia audiovisual mediante a realização de conferências e rodadas de negócios, apresentação de cases, pitches e atividades de networking, reunindo players nacionais produtoras e profissionais com vistas ao estabelecimento de novos negócios e formação neste segmento de produção. O fórum busca apoiar o desenvolvimento da produção de filmes de natureza, ciência, esporte, aventura, turismo, saúde e socioambiental, considerando o crescente número de canais de televisão e festivais de cinema interessados nestas temáticas e os mercados emergentes na área de educação e turismo. 

O evento conta com o apoio institucional da Brasil Audiovisual Independente (BRAVI), do Instituto de Conteúdo Audiovisual Brasileiro (ICABI), Prefeitura Municipal de Florianópolis, Secretaria Municipal de Turismo, Florianópolis e Região Convention & Visitors Bureau,  Universidade Federal de Santa Catarina UFSC, Universidade do Estado de Santa Catarina, SESC, ACATE, UNISUL, Aliança Francesa, Fundação Badesc, Hotel Costão do Santinho e parceria com vários espaços culturais da cidade.

Serviço – Iº Fórum Audiovisual da Natureza

Quando: Dias 22 e 23 de outubro

Local: Centro de Cultura e Eventos da UFSC – Florianópolis

Inscrições: Gratuita e acesse o edital neste link https://www.planetadoc.com/wp-content/uploads/2019/09/EDITAL-F%c3%93RUM-AUDIOVISUAL-DE-ANTUREZA-FINAL-2.pdf

Financiadores: Este projeto foi contemplado no Edital Audiovisual Gera Futuro 2018 da Secretaria Especial da Cultura, Ministério da Cidadania e Governo Federal, com investimento do BRDE/FSA/Ancine

Mais informações: www.planetadoc.com

www.facebook.com/planetadocfestival

Contatos:

Mônica Linhares (diretora): (48) 99691-2655 e-mail: planetadoc.brasil@gmail.com

Assessoria de imprensa/jornalistas: Marcos Espíndola (48/99981-5774, e-mail: marcos@marcosespindola.com.br) e Rodrigo Ramos (48/99165-6031, e-mail: rodrigo.cardosoramos@gmail.com)

Quarta edição do PLANETA.doc começa na próxima segunda (16)

Mais de cem filmes compõem a programação do Festival Internacional de Cinema Socioambiental, que transformará Florianópolis na capital do meio ambiente até o próximo mês. No dia 23 de outubro, acontece o II Planeta.doc Conferência, na UFSC, que já está com inscrições abertas. Toda a programação é gratuita e pode ser baixada na APP PLANETA.doc ou no site do festival www.planetadoc.com

“Há água suficiente na Terra para prover nove bilhões de pessoas em 2050?”. A pergunta que moveu os diretores franceses no documentário Expedição  Grand Rift – Os Guerreiros da Chuva (2012, 52 min) e os incitou a percorrer milhares de quilômetros de territórios africanos em processo de desertificação  é uma entre as centenas de questões instigantes trazidas pelo Festival PLANETA.doc, que inicia na próxima segunda-feira, dia 16 de outubro, em Florianópolis e outras várias cidades catarinenses, e vai até 10 de novembro.

Com mais de cem filmes na programação, muitos premiados em festivais do mundo inteiro, a quarta edição do PLANETA.doc transforma as cidades no cenário ideal para repensar paradigmas e mergulhar na realidade do mundo contemporâneo, propondo inovações e soluções para os problemas socioambientais com que se depara a humanidade em um planeta de vida abundante.

O festival, maior do gênero do sul do país e um dos principais do Brasil, trata de toda a temática da imbricação do ser humano com  a Terra, o que inclui  temas polêmicos e urgentes como produção e destino do lixo, mobilidade urbana,  retomada dos espaços públicos nas cidades contemporâneas, alimentação e saúde pública, movimentos sociais, explorações de territórios e biomas  e um olhar aprofundado  para as realidades sociais e ambientais dos quatro cantos do planeta.

Os filmes serão exibidos gratuitamente em  universidades, espaços culturais públicos e  cineclubes.  Entre os espaços que irão sediar o evento estão o cinema do Centro Integrado de Cultura (CIC), Sapiens Parque, Centro de Eventos e auditório da reitoria da UFSC, Fundação Cultural Badesc e rede Cinesystem (Shopping Iguatemi), além de espaços diversos da cidade como o Circo da Dona Bilica, espaço Conexão, O Sítio, o Círculo Artístico Teodora e Sol da Terra.

O Festival disponibiliza, para toda a rede de escolas públicas (municipais e estaduais) de ensino médio e fundamental,  a Plataforma Planeta na Escola, permitindo a utilização dos filmes em sala de aula como ferramenta de educomunicação durante os anos 2017 e 2018.

Além da exibição de filmes, haverá debates e o PLANETA.doc Conferência – destaque desta edição, com pensadores, cineastas, ativistas e cientistas que vem inovando em questões ligadas à sustentabilidade.

O objetivo é difundir temáticas relacionadas à preservação da vida por meio de filmes com foco nos desafios da sustentabilidade e apresentação de  soluções que estão sendo geradas para viabilizar sociedades harmonicamente integradas ao seu meio natural. O festival lança o desafio de pensar a sociedade atual de forma transdisciplinar para traçar linhas de reconexão que evidenciem a importância do papel do ser humano na condução do destino do planeta.

“Nossa proposta é aliar conhecimento e arte. A emoção é necessária no processo de conhecer, e os filmes permitem um aprofundamento em questões limites essenciais, em problemáticas comuns que são vivenciadas em todas as faces da terra porque estamos numa etapa de globalização que coloca a humanidade inteira na mesma nave. Compreender estas problemáticas para dar o salto para a mudança é o objetivo do festival e do PLANETA.doc Conferência”, destaca a diretora do festival, Mônica Linhares.

Por outro lado, a parceria com as escolas permite tratar desses temas de forma contemporânea, inovadora e atraente para uma geração que está formada em uma ampla rede de comunicação audiovisual.  “E, por sua vez, o público em geral tem a oportunidade de acessar filmes que estão fora do circuito comercial nos espaços culturais elencados pelo festival e aproveitar as informações que são trazidas por documentaristas do mundo inteiro”, conclui.

A programação estará toda disponível no site www.planetadoc.com e através do aplicativo Planeta.DOC, que pode ser baixado no Google Play e Apple Store. Por lá, é possível também acessar trailers dos filmes.

Dia do Planeta abre a programação

O festival começa na próxima segunda-feira, 16 de outubro, com as ações do Dia do Planeta voltadas a alunos de escolas estaduais, municipais e privadas. Cerca de cinco mil estudantes de Florianópolis vão ter a oportunidade de participar de exibições e debates no Cinesystem Iguatemi, no cinema do CIC, na UFSC e no Sapiens Parque, até o dia 10 de novembro, e em exibições realizadas nas próprias escolas, como o Instituto Estadual de Educação.

Planeta.Doc Conferência e debates estão com inscrições abertas

Os benefícios da agricultura urbana, os gastos das prefeituras com a destinação  dos resíduos e a irracionalidade dos processos de descarte,  as alternativas para a mobilidade, a discussão sobre os processos de privatização dos bens comuns e todas as inovações que estão sendo gestadas em torno a conceitos como lixo zero,  cidades do futuro – inteligentes e humanas –  estão entre os temas que serão debatidos por cerca de 15 palestrantes de várias partes do mundo, que participam do Planeta.doc Conferência, no dia 23 de outubro, a partir das 14h, no Auditório Garapuvu da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

O evento, com o tema “Bens Comuns, Lixo Zero e Cidades Humanas”, contará com a participação de cientistas e especialistas na área socioambiental, entre eles o jornalista e ambientalista brasileiro Washington Novaes; a australiana Ronni Kahn, fundador da OzHarvest, impulsionado pelo desejo de fazer a diferença e acabar com o desperdício de comida; e a inglesa Tia Kansara, autora premiada e empresária, fundadora e diretora do Kansara Hackney Ltd., primeira consultoria de estilo de vida sustentável e controle de qualidade ISO no Reino Unido.

As conferências são realizadas em um formato semelhante a TED, com até 30 minutos de duração, permitindo um painel bastante abrangente e diversificado. Os encontros acontecerão no Auditório Garapuvu da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), a partir das 14h.

A participação na Conferência é gratuita, mas a inscrição é obrigatória. Basta realizá-la neste link: http://bit.ly/2xuvKpR. Todos os participantes ganham certificado de participação.

No dias 21 e 22 de outubro, o cinema do CIC sediará debates. No sábado (21), após a sessão das 18h30, com o filme Descrescimento – do Mito da Abundância à Simplicidade Voluntária (Espanha), o diretor do Festival Ecozine (Zaragoza, Espanha) Pedro Pinera, vai falar sobre a recente produção cinematográfica na área socioambiental. Já no domingo (22), após a sessão das 20h, com o filme O Jogo da Extinção (DEU, CAN), haverá debate com a presença da produtora do filme Adrienne Hall, da Sound Films. Ela é sócia de Annie Costner e vem da Califórnia.

Mostras dentro do Planeta.Doc

Mostra Ecozine – Em parceria com o Ecozine Festival Internacional de Cine y Medio Ambiente de Zaragoza, e com o apoio da Embaixada da Espanha, o Planeta.Doc exibirá filmes, entre curtas, médias e longas-metragens, que estarão na mostra espanhola, que acontece na Fundação Badesc.

Mostra Planeta.doc Lixo Zero – Neste ano, o Planeta.Doc traz de volta a Mostra Planeta.doc Lixo Zero, com filmes dedicados à destinação de resíduos, comportamentos e qualidade de vida envolvendo esta temática. A iniciativa será realizada em parceria com a Semana Lixo Zero (www.semanalixozero.com.br), do Instituto Lixo Zero, que reúne eventos por todo o país dedicados a discutir e trazer soluções para a redução e gestão dos resíduos. Trata-se de uma mostra de filmes sobre o tema cuja exibição permite a disseminação do conhecimento sobre de que forma os materiais descartados podem ser projetados para se tornarem recursos.

Existe uma grande mobilização em torno do conceito de Lixo Zero. Trata-se de uma meta ética, econômica, eficiente e visionária para orientar as pessoas a mudarem seus estilos de vida e adotarem práticas para emular ciclos naturais mais sustentáveis.

Lançamento de plataforma Planeta na Escola Social

Juntamente ao Planeta.Doc Conferência, no dia 23 de outubro, será lançada a plataforma Planeta na Escola Social, no qual escolas públicas – municipais e estaduais – e privadas garantem o acesso aos filmes em sala de aula e participam do evento que estimula professores a abordarem questões relacionadas a sustentabilidade da vida na Terra por meio de filmes, em sala de aula.

A plataforma cria uma comunidade de aprendizagem, que permite aos professores compartilhar suas práticas pedagógicas e construir um projeto conjunto de utilização do cinema para fins educativos. O professor é a peça chave deste processo educativo por meio dos filmes, pois ele realiza a mediação e interpretação das obras junto aos seus alunos. E tem a oportunidade de conhecer outros educadores e compartilhar com eles projetos, ideias e soluções aplicadas em sala de aula. A Plataforma será utilizada durante todo o primeiro semestre de 2018 pela rede pública municipal e estadual de Florianópolis.

Patrocínios, apoios e parcerias

O Planeta.Doc 2017 tem o patrocínio da Secretaria Municipal de Cultura – Florianópolis, Fundação Cultural Franklin Cascaes, e apoio cultural de Neoway Business Solutions e Digilab. Institucionalmente, o apoio é  da UFSC, Udesc – Universidade do Estado de Santa Catarina, UNISUL – Universidade, Resort Costão do Santinho, Fundação CERTI, Sapiens Parque, Acate, Fundação Catarinense de Cultura, Secretaria de Educação Florianópolis, Secretaria de Estado da Educação de Santa Catarina, Embaixada da França no Brasil, Instituto Francés, Embajada de España en Brasil – Embaixada da Espanha no Brasil, Embaixada da Espanha e Escritório Cultural da Embaixada da Espanha no Brasil, Embaixada do México, Fundação Cultural Badesc, Instituto Estadual de Educação (IEE).

São parceiros do evento ONU Habitat, Instituto Lixo Zero Brasil, Semana Lixo Zero Florianópolis, Ecozine Film Festival, Cineclube Presença, Cine Club Ipan, Aequo Sustentabilidade, ACATS, ATADOS, TV UFSC, ATADOS, Projeto Guarani Serra Geral, UFSC Sustentável, Projeto Tecnologias Sociais para a Gestão da Água, Engenharia Sanitária e Ambiental da UFSC, Espaço Conexão, Circo Dona Bilica, CineClube Mostra de Cinema Infantil de Florianópolis, Shopping Iguatemi, O Sítio, Fundação Cultural Badesc, SINEPE/SC, Colégio Catarinense, Sal da Terra e Círculo Artístico Theodora.

2016 – Festival de Cinema encerra neste domingo (13) no cinema do CIC

Dez filmes estarão em cartaz e a entrada é gratuita

 

As mais belas obras do cinema socioambiental estarão em cartaz gratuitamente neste fim de semana no Centro Integrado de Cultura. No total, dez filmes que compõem as mostras do Planeta.Doc ficam à disposição do público no CIC, com cinco sessões no sábado e outras cinco no domingo.
A programação deste sábado abre com ‘A Praça Pede Passagem’ (14h15), seguido pelos filmes ‘Um dia vi 10.000 elefantes’ (15h45), ‘O fim do tempo’ (20h) e ‘O Lugar dos Morangos’ (21h30), além de curtas da mostra competitiva Planeta.Doc (18h30). No domingo as exibições começam com ‘Crônica da Demolição’ (14h15). Na sequencia serão exibidos ‘Tempo’ (15h45), curtas da mostra competitiva (18h30) e ‘Vozes de Chernobyl’ (20h). O documentário ‘Sobrevivendo ao Progresso’ (21h30) encerra a programação do Planeta.Doc 2016.
A terceira edição do Festival Internacional de Cinema Socioambiental movimentou Santa Catarina nas últimas semanas com a exibição de mais de 130 filmes em diferentes locais de Florianópolis, Ibirama, Laguna, Joinville e Balneário Camboriú. ​
TRAILERS DOS FILMES:
A Praça Pede Passagem
Um dia Vi 1.000 Elefantes
O Fim do Tempo
O Lugar dos Morangos
Vozes de Chernobyl
Sobrevivendo ao Progresso
Crônica da Demolição
SINOPSES DOS FILMES:
A PRAÇA PEDE PASSAGEM: Fernando Ramos. Doc. BRA. 100’ O documentário debate a urgência da retomada dos espaços públicos nas cidades contemporâneas. Aborda também as origens de nosso caos urbano e os conflitos entre pessoas e carros.
UM DIA VI 10.000 ELEFANTES: Alex Guimerà e Juan Pajares. Ani. ESP. 76’ AngonoMba, um octogenário guineano rememora a expedição entre 1944 e 1946, quando percorreu a Guiné espanhola documentando a vida na colônia e buscando um misterioso lago, onde segundo contava uma lenda africana, se podiam ver juntos 10.000 elefantes.
O FIM DO TEMPO: Peter Mettler. Doc. CAN, CHE. 109’ Dos aceleradores de partículas da Suíça (onde cientistas investigam a existência de instâncias do tempo das quais não temos nem ideia) ao derrame de lavas no Havaí (que cobriram todas as casas do sul da Grande Ilha); da desintegração da cidade de Detroit a um enterro na Índia (perto do local onde Buda foi iluminado), o diretor explora nossa percepção de tempo.
O LUGAR DOS MORANGOS: Maite Vitoria Daneris. Doc. ESP. 90’ Legendas em espanhol. Lina é uma lavradora idosa do norte da Itália. A cada manhã se desloca ao maior mercado ar livre da Europa para vender suas verduras e seus morangos. A vida de Lina é, como ela diz “casa, igreja e trabalho”. Lina não tem filhos, mas sim cinco cães e a seu marido, Gianni, que quer que ela deixe de trabalhar. Um dia no mercado, entra em cena Hassan, um jovem imigrante marroquino recém chegado a Itália em busca de trabalho. O Lugar dos Morangos é uma história de personagens, filmada durante sete anos através do olhar de uma jovem cineasta espanhola.
CRÔNICA DA DEMOLIÇÃO: Eduardo Ades. Doc. BRA. 90’ No Centro do Rio de Janeiro, uma praça vazia com um chafariz seco e um estacionamento subterrâneo. Há quarenta anos ali ficava o Palácio Monroe, antiga sede do Senado Federal. Uma história de sabres e leões, militares e arquitetos, passado e futuro.
VOZES DE CHERNOBYL: Pol Cruchten. Fic. LUX. 86’ Este filme não trata de Chernobyl, mas sim do mundo de Chernobyl, em relação ao qual sabemos muito pouco. Relatos testemunhais sobreviveram: cientistas, professores, jornalistas, casais, crianças. Todos falam de suas antigas vidas cotidianas, e depois da catástrofe. Suas vozes formam uma suplicação, longa e terrível, porém necessária, que cruza fronteiras e nos estimula a questionar nosso status quo.
SOBREVIVENDO AO PROGRESSO: MathieuRo e HoraldCrooks. Doc. CAN. 86’ A ascensão da Humanidade é geralmente medida pela velocidade do progresso. Mas e se o atual progresso estiver nos prejudicando e nos levando em direção ao colapso? Ronald Wright, autor do bestseller “A Breve História do Progresso” inspira este documentário. Civilizações do passado foram destruídas pelas “armadilhas do progresso” – tecnologias fascinantes e sistemas de crença que atendem a necessidades imediatas, mas comprometem o futuro.

2016 – Mostras Planeta.Doc acontecem até domingo (13) no cinema do CIC

As sessões são gratuitas e abertas ao público

 

Mostras Planeta.Doc acontecem até domingo (13) no cinema do CIC
As sessões são gratuitas e abertas ao público
A programação da terceira edição do Festival Internacional de Cinema Socioambiental – Planeta.Doc – prossegue nesta semana com a realização de diferentes mostras competitivas e não-competitivas. As sessões gratuitas e abertas ao público acontecem até o próximo domingo (13) no cinema do Centro Integrado de Cultura (CIC), com exibições de várias obras às 9h30, 14h15, 15h45, 18h30, 20h e 21h30. A programação completa está disponível no link https://goo.gl/CJwRVa.
“Nossa missão é mostrar as práticas geradas internacionalmente para a promoção da sustentabilidade. Estamos na terceira edição e é maravilhoso perceber a cada ano o aumento no engajamento do público catarinense”, comemora Mônica Linhares, diretora do Planeta.Doc. “Espero que as pessoas não percam essa última semana para assistir o que há de melhor na sétima arte socioambiental”, convida.
No total, o Festival deste ano trouxe para Santa Catarina mais de 130 filmes que integram a programação das mostras competitivas Lixo Zero – realizada de 24 a 30 de outubro – Cidades Humanas, Ecozine e Diretores, além da mostra não-competitiva Cinemateca da Embaixada da França. Também são realizadas sessões exclusivas aos alunos de diferentes escolas municipais de Florianópolis, Biguaçu e São José, além de exibições no CIC, UFSC, Sapiens Parque, Fundação Cultural Badesc e Cinema da Lagoa, além da UDESC de Florianópolis, Ibirama, Laguna, Joinville e Balneário Camboriú.

A programação da terceira edição do Festival Internacional de Cinema Socioambiental – Planeta.Doc – prossegue nesta semana com a realização de diferentes mostras competitivas e não-competitivas. As sessões gratuitas e abertas ao público acontecem até o próximo domingo (13) no cinema do Centro Integrado de Cultura (CIC), com exibições de várias obras às 9h30, 14h15, 15h45, 18h30, 20h e 21h30. A programação completa está disponível no link https://goo.gl/CJwRVa.

“Nossa missão é mostrar as práticas geradas internacionalmente para a promoção da sustentabilidade. Estamos na terceira edição e é maravilhoso perceber a cada ano o aumento no engajamento do público catarinense”, comemora Mônica Linhares, diretora do Planeta.Doc. “Espero que as pessoas não percam essa última semana para assistir o que há de melhor na sétima arte socioambiental”, convida.

No total, o Festival deste ano trouxe para Santa Catarina mais de 130 filmes que integram a programação das mostras competitivas Lixo Zero – realizada de 24 a 30 de outubro – Cidades Humanas, Ecozine e Diretores, além da mostra não-competitiva Cinemateca da Embaixada da França. Também são realizadas sessões exclusivas aos alunos de diferentes escolas municipais de Florianópolis, Biguaçu e São José, além de exibições no CIC, UFSC, Sapiens Parque, Fundação Cultural Badesc e Cinema da Lagoa, além da UDESC de Florianópolis, Ibirama, Laguna, Joinville e Balneário Camboriú.

 

2016 – Maiores especialistas na área socioambiental participam de evento em SC

Planeta.Doc Conferência acontece nos próximos dias 3 e 4 em Florianópolis

 

 

Dois dias de debates com os principais especialistas internacionais na área socioambiental marcarão o Planeta.Doc Conferência nos próximos dias 3 e 4, em Florianópolis. O mexicano Enrique Leff, considerado um dos maiores intelectuais latino-americanos no âmbito da problemática ambiental, Carlos Porto-Gonçalves, vencedor do prêmio Chico Mendes e Marcello Lopes de Sousa, ganhador do prêmio Jabuti, estão entre os nomes confirmados. O evento integra a programação do Festival Internacional de Cinema Socioambiental e será realizado do Auditório Garapuvu da Universidade Federal de Santa Catarina, das 19h às 22h. A entrada é gratuita e a inscrição deve ser feita pelo link http://migre.me/uZSJP. “Foi uma grande conquista reunir esses renomados especialistas na área socioambiental para debater os principais dilemas da sustentabilidade. Desta forma pretendemos contribuir para esse movimento vital de transformação dos indivíduos e da sociedade”, conta Mônica Linhares, diretora do Planeta.Doc.

As conferências abrem no dia 3 de novembro com as palestras de Carlos Porto-Gonçalves, doutor em geografia e vencedor do prêmio Chico Mendes em Ciência e Tecnologia; Dener Giovanini, escritor, jornalista, fundador da Rede Nacional de Combate aos Animais Silvestres e ganhador da mais importante condecoração ambiental do mundo, o UNEP-SASSAKWA, oferecido pelas Nações Unidas; Camila Moreno, pesquisadora na área de métricas de carbono e clima, que nos últimos 15 anos trabalhou com diversas ONGs e redes no Brasil e na América Latina sobre temas de meio ambiente e desenvolvimento, e Ricardo Cardim, mestre em Botânica pela USP e criador da técnica para resgate dos biomas nativos em áreas urbanas com a participação da comunidade.
No dia 4 a programação prossegue com as palestras de Enrique Leff, sociólogo ambientalista mexicano, com mais de 20 livros publicados; Nina Orlow, arquiteta, ambientalista e membro da Rede Nossa São Paulo e da Aliança Resíduo Zero Brasil; Maluh Barciotte, doutora em Saúde Pública e Ambiental pela USP, que atua de forma sistêmica nos temas sustentabilidade e fundadora da Associação de Agricultura Orgânica; e Marcello Lopes de Sousa, doutor em geografia e vencedor do prêmio Jabuti por seu livro “O desafio metropolitano”. O cineasta Beto Brant, diretor de premiadas obras como “O Invasor”, “Os Matadores” e “Eu Receberia as Piores Notícias dos seus Lindos Lábios”, também está confirmado.
“Convidamos a todos para participar do Planeta.Doc Conferência, que será uma oportunidade incrível para conhecer as ideias desses importantes pensadores tanto da área acadêmica quanto artística. E estamos muito orgulhosos em poder proporcionar esse encontro inédito em Santa Catarina”, comemora Mônica.
Jovens Transformadores
Nesta quinta-feira (3) o Planeta.Doc promove um evento exclusivo para alunos dos últimos anos do ensino fundamental e médio. Haverá exibição do documentário francês “Em busca de propósito”, que propõe um amplo questionamento sobre nossas visões de mundo, e na sequencia será realizada a oficina “Planet Changers” sobre o empoderamento de jovens como agentes transformadores da sociedade e do meio ambiente. “Nesta oficina vamos debater e identificar quais são os compromissos que queremos ter enquanto cidadãos deste nosso planeta”, explica a diretora do Planeta.Doc. O evento é gratuito e acontecerá das 14h às 17h30, no Auditório Garapuvu (UFSC). Os interessados devem se inscrever pelo link https://goo.gl/3wLNw2
SERVIÇO PLANETA.DOC CONFERÊNCIA
Data: 3 e 4 de novembro
Local: Auditório Garapuvu da Universidade Federal de Santa Catarina
Horário: 19h às 22h
Entrada: gratuita
Inscrição: http://migre.me/uZSJP.
Convidados 03/11: Carlos Porto Gonçalves, Dener Giovanini, Camila Moreno e Ricardo Cardim.
Convidados 04/11: Enrique Leff, Nina Orlow, Maluh Barciotte e Marcello Lopes de Sousa.

 

2016 – Confira a programação completa do Planeta.Doc 2016

No total, 130 filmes serão exibidos em diferentes locais de SC

Clique aqui para conferir a programação completa do Planeta.Doc 2016

2016 – Planeta.Doc Conferências acontecerá nos próximos dias 3 e 4 na UFSC

Evento em Florianópolis reunirá maiores especialistas na área socioambiental

Renomados cientistas, cineastas e especialistas na área socioambiental estarão em Florianópolis nos dias 3 e 4 de novembro para o Planeta.Doc Conferências. O evento reunirá na capital catarinense algumas das principais autoridades nacionais e internacionais no segmento. Os encontros acontecerão no Auditório Garapuvu da Universidade Federal de Santa Catarina, entre 19h e 22h. A entrada é gratuita e as inscrições podem ser feitas pelo link https://www.planetadoc.com/conferencias.php.
Durante dois dias os convidados debaterão alguns dos principais dilemas da sustentabilidade na atualidade. “O evento servirá de palco para a apresentação das ideias desses importantes pensadores da Terra, tanto da área acadêmica quanto artística. Por meio dos debates presenciais com autoridades na temática socioambiental, pretendemos contribuir para esse movimento vital de transformação dos indivíduos e da sociedade”, explica Mônica Linhares, diretora do Festival. O Planeta.Doc Conferências integra a programação do Festival Internacional de Cinema Socioambiental, principal evento do gênero no sul do país, que começou no último dia 24 e se estenderá até 13 de novembro em Santa Catarina.
As conferências abrem no dia 3 de novembro com as palestras de Carlos Porto-Gonçalves, doutor em geografia e vencedor do prêmio Chico Mendes em Ciência e Tecnologia; Dener Giovanini, escritor, jornalista, fundador da Rede Nacional de Combate aos Animais Silvestres – recebeu das Nações Unidas a mais importante condecoração ambiental do mundo: o UNEP-SASSAKWA; Camila Moreno, pesquisadora na área de métricas de carbono e clima, que nos últimos 15 anos trabalhou com diversas ONGs e redes no Brasil e na América Latina sobre temas de meio ambiente e desenvolvimento,  e Ricardo Cardim, mestre em Botânica pela USP e criador da técnica para resgate dos biomas nativos em áreas urbanas com a participação da comunidade.
No dia 4 a programação prossegue com as palestras de Enrique Leff, sociólogo ambientalista mexicano considerado um dos maiores intelectuais latino-americanos no âmbito da problemática ambiental, com mais de 20 livros publicados; Nina Orlow, arquiteta, ambientalista e membro da Rede Nossa São Paulo e da Aliança Resíduo Zero Brasil; Maluh Barciotte, doutora em Saúde Pública e Ambiental pela USP, que atua de forma sistêmica nos temas sustentabilidade e fundadora da Associação de Agricultura Orgânica; e Marcello Lopes de Sousa, doutor em geografia e vencedor do prêmio Jabuti por seu livro “O desafio metropolitano”. O cineasta Beto Brant, diretor de premiadas obras como “O Invasor”, “Os Matadores” e “Eu Receberia as Piores Notícias dos seus Lindos Lábios”, também está confirmado.
SERVIÇO
Planeta.Doc Conferências
Data: 3 e 4 de novembro
Local: Auditório Garapuvu da Universidade Federal de Santa Catarina
Horário: 19h às 22h
Entrada: gratuita
Inscrição: http://migre.me/uZSJP.
Convidados 03/11: Carlos Porto Gonçalves, Dener Giovanini, Camila Moreno e Ricardo Cardim.
Convidados 04/11: Enrique Leff, Nina Orlow, Maluh Barciotte e Marcello Lopes de Sousa.